"Ser Chauffeur… triste a sina"


 
 
 
 
 
Ser Chauffeur! Sorte dura, mau labôr,
Que traz a vida à morte acorrentada.
E quanta vez, já alta madrugada.
Vê levantar do sól todo  ’splendôr.

E segue, estrada fora, sem temor

Ao p’rigo de qualquer uma cilada.

Da sua vida; alegre e acidentada.

É o chauffeur o próprio jogador.

 

Quem sabe se ele um dia virá a ser,

No meio dos perigos porque passa,

O assassino de um filho a quem adora.

 

É dos que, trabalhando sem temer

Para ganhar o pão, tem a desgraça

De ter consigo morte a toda a hora

 

 

Autor: Nicola David Júnior (1885-1930)

Editado por: nicoladavid

Não esqueça ligar o som. 
 
Comments