"Dor Morta"

 
Foi secando aquela dor...

Planta daninha!

Que perfume embriagador
Ela não tinha!

Foi morrendo... o coração
Inda se queixa...

Mas eu fiz uma oração
Da sua queixa.

 

E, alta noite, vou rezar,
Joelho em terra...

O céu chora com pesar,
A sombra aterra.

Mas a lua entra a sair,
Intemerata,

E o luar entra a cair

¾ Chuva de prata...

 

Então a dor que morreu

Surge mais bela...

Quem move os lábios ¾ sou eu;
Quem reza
¾ é ela.

 

 

Autor: Queiroz Ribeiro (1860-1928)

Editado por: nicoladavid

Não esqueça ligar o som.
 
Comments