Exílio

 

Se pudesse ver, a pátria,
Tuas amendoeiras e teus lilases,
E pisar a tua erva florescida,
Infelizmente!

Se pudesse, - mas, o meu pai,
E a minha mãe, não posso, -
Tomar para cabeceira a vossa pedra,
Infelizmente!

No frio caixão que obstrui-os,
Se pudessem vocês falar baixo,
O meu irmão Abel, o meu irmão Eugène,
Infelizmente!

Se pudesse, o a minha pomba,
E você, mãe, que o envoltas,
Me ajoelhar sobre o vosso túmulo,
Infelizmente!

Oh! Para a estrela solitária,
Como levantaria os braços!
Como beijaria a terra,
Infelizmente!

Distante de vocês, do morto que choro,
Ondas pretas ouvem o dobro;
Quereria fugir, mas receio,
Infelizmente!

No entanto o destino, escondido na sombra,
Engana-se em, contando os meus passos,
Crê que velho o caminhante sombrio
Leste cansado.

 

 

Autor: Victor Hugo (1802-1855)
Editado por: nicoladavid

Comments