Estupidez Da Guerra

 

Trabalhar sem olhos, Pénélope parvo,
Berceuse do caos onde o nada oscila,                        
Guerra, a guerra ocupada ao choque dos esquadrões,
Qualquer cheiro do barulho furioso das cornetas ,
O bebedor de sangue, que, selvagem, desvanecido,
Medonho, provoca ao homem esta embriaguez,
Nuvem onde o destino deforma-se, onde Deus foge,
Onde flutua uma clareza mais preta que a noite,
Fole imenso, de vento e raios armado,
A qual serve, protecção, à qual serve, fumado,
Se os teus desabamentos reconstroem o mal,
Se para bestial você caça o animal,
Se não sabes, na sombra onde o teu azar se chafurda,
Desfazer um imperador para fazer outro?

 

Autor: Victor Hugo (1802-1855)
Editado por: nicoladavid

Comments