Fria Claridade

 

No meio da claridade,

Daquele tão triste dia,

Grande, grande era a cidade,

E ninguém me conhecia!

 

Então passaram por mim

Dois olhos lindos, depois,

Julguei sonhar, vendo enfim,

Dois olhos, como há só dois?

 

Em todos os meus sentidos,

Tive presságios de Deus.

E aqueles olhos tão lindos

Afastaram-se dos meus!

 

Acordei, a claridade

Fez-se maior e mais fria.

Grande, grande era a cidade,

E ninguém me conhecia!

 

 

Autor: Pedro Homem de Melo (1904-1984)
Editado por: nicoladavid

Comments