"Entrega"


Descalço venho dos confins da infância

E a minha infância ainda não morreu

De traz de mim em face inda distante

Menino Deus Jesus da minha infância

Tudo o que tenho e nada tenho é Teu.

 

Venho da estranha noite dos Poetas

Noite em que o mundo nunca me entendeu

E trago a noite vazia dos Poetas

Menino Deus Amigo dos Poetas

Tudo o que tenho e nada tenho é Teu

 

Feriu-me um dardo ensanguentando as ruas

Onde o demónio em vão me apareceu

Porque as estrelas todas eram Tuas

Menino irmão dos que andam pelas ruas

Tudo o que tenho e nada tenho é Teu

 

Quem Te ignorar, ignora os que são tristes

Óh meu Irmão Jesus triste como eu

Óh meu Irmão Menino de olhos tristes

Nada mais tenho além de uns olhos tristes

Mas o que tenho e nada tenho é teu

 

Autor: Pedro Homem de Melo (1904-1984)
Editado por: nicoladavid


Comments