"Companheiro"


Negaram-lhe a luz,

negaram-lhe a água,

negaram-lhe o vinho,

as rosas por pão.

 

Meu único meu,

meu único irmão,

não teve jazigo,

não teve caixão.

 

E se encontrou cama,

aonde ainda se deite,

é porque a beleza

é feita de mágoa.

 

embrulhou-o a lua,

em seu cobertor,

meu único amigo,

meu único amor.

 

Não teve jazigo,

não teve caixão,

teve uma guitarra

o meu coração.

Autor: Pedro Homem de Mello (1904-1984)
Editado por: nicoladavid



Comments