Barco Vazio

 

Nas margens do Vouga
Andava um pastor.

Passou, certo dia,
Por esse pastor
Um barco vazio.

O vento quedou-se
E o barco no rio
Submisso, quedou-se...

Porém, quando o vento
Recomeçou lento,
O barco vazio
Deu um passo lento...

O pastor, então,
Pôs-se a meditar
Que daquele rio
O barco vazio
Podia levá-lo
Ás praias do mar...

E o pastor, então,
Pôs-se a meditar
Que daquele rio
O barco vazio
Podia levá-lo
Ás praias distantes...
E voltar com ele
Cheio de diamantes!

Mas...era já tarde!
̶  A curva do rio
Escondera há muito
O barco vazio...

Autor: Pedro Homem de Melo (1904-1984)

Editado por: nicoladavid

Comments