Hábito Romântico

 

Não sei explicar.
Quando gosto imenso de uma pessoa, nunca digo a ninguém o seu nome. Seria como que entregar uma parte dela. Habituei-me a manter o segredo.
Parece ser a única coisa que nos pode tornar a vida moderna misteriosa, ou maravilhosa.
A coisa mais banal adquire encanto simplesmente quando não revelada.
Quando me ausento da cidade, nunca digo aos da casa para onde vou. Perdia todo o prazer, se o fizesse.
É um hábito tolo, confesso, mas, de certo modo, traz algum romantismo à nossa vida.

Autor: Oscar Wilde (1854-1900)

Editado por: nicoladavid

Comments