Conhecermo-nos A Nós Próprios

 

É obviamente necessário, como o oráculo grego afirmava, conhecermo-nos a nós próprios.
É a primeira realização do conhecimento.
Mas reconhecer que a alma de um homem é incognoscível é a maior proeza da sabedoria.
O derradeiro mistério somos nós próprios.
Depois de termos pesado o Sol e medido os passos da Lua e delineado minuciosamente os sete céus, estrela a estrela,
restamos ainda nós próprios.
Quem poderá calcular a órbita da sua própria alma?

Autor: Oscar Wilde (1854-1900)

Editado por: nicoladavid

Comments