"Professor!"


Não escrevo para agradecer-te,

pois a felicidade da tua realização,

- tantas vezes dura, tantas vezes heróica,

é a recompensa fundamental

da tua dedicação…

 

Venho dizer-te, para seres mais feliz ainda,

que começamos a partilhar tua lição,

quando chegas sorridente,

quando sobes ofegante, de mensagem na alma

e livros na mão…

Quando sais vagarosamente,

sob o peso  do cansaço e desilusão…

Não escrevo para agradecer-te,

porque o nosso acolhimento caloroso,

a nossa atenção quando explicas,

a nossa compreensão quando a fadiga

te arrasa e nos cansas,

- o nosso interesse por ti

e por quanto nos comunicas com paixão -

- tudo é resposta da nossa gratidão.

 

Mas escrevo-te com uma mensagem

de carinho e de esperança:

- assegurar-te que não morrerás!

Ficarás vivo, perpetuado com saudade,

em tantas estátuas de carne e espírito,

que, num labor insano e agreste,

modelaste generosamente

com tua doação de Mestre!

                        

 

Autor: Mário Salgueirinho
Editado por: nicoladavid

 

Comments