Presença bela, angélica figura


Presença bela, angélica figura,

em quem, quanto o Céu tinha, nos tem dado;

gesto alegre, de rosas semeado,

entre as quais se está rindo a Fermosura;

 

olhos, onde tem feito tal mistura

em cristal branco o preto marchetado,

que vemos já no verde delicado

não esperança, mas enveja escura;

 

brandura, aviso e graça, que aumentando

a natural beleza cum desprezo,

com que, mais desprezada, mais se aumenta;

 

são as prisões de um coração que, preso,

seu mal ao som dos ferros vai cantando,

como faz a sereia na tormenta.



Autor: Luis de Camões (1524-1580)

Editado por: nicoladavid


Comments