Grão tempo há já que soube da Ventura

 

Grão tempo há já que soube da Ventura

a vida que me tinha destinada;

que a longa experiência da passada

me dava claro indício da futura.

 

Amor fero, cruel, Fortuna dura,

bem tendes vossa força exprimentada:

assolai, destruí, não fique nada;

vingai vos desta vida, qu'inda dura.

 

Soube Amor da Ventura, que a não tinha,

e, por que mais sentisse a falta dela,

de imagens impossíveis me mantinha.

 

Mas vós, Senhora, pois que minha estrela

não foi milhor, vivei nesta alma minha,

que não tem a Fortuna poder nela.

 

Autor: Luis de Camões (1524-1580)
Editado por: nicoladavid

Comments