Diana prateada, esclarecia

 

Diana prateada, esclarecia

com a luz que do claro Febo ardente,

por ser de natureza transparente,

em si, como em espelho, reluzia.

 

Cem mil milhões de graças lhe influía,

quando me apareceu o excelente

raio de vosso aspecto, diferente

em graça e em amor do que soía.

 

Eu, vendo-me tão cheio de favores,

e tão propínquo a ser de todo vosso,

louvei a hora clara, e a noite escura,

 

Sois nela destes cor a meus amores;

donde colijo claro que não posso

de dia para vós já ter ventura.

 

Autor: Luis Vaz de Camões (1524-1580)

Editado por: nicoladavid

Comments