Despois que viu Cibele o corpo humano

 

Despois que viu Cibele o corpo humano

do fermoso Átis seu verde pinheiro,

em piedade o vão furar primeiro

convertido, chorou seu grave dano.

 

E, fazendo a sua dor ilustre engano,

a Júpiter pediu que o verdadeiro

preço da nova palma e do loureiro,

ao seu pinheiro desse, soberano.

 

Mais lhe concede o filho poderoso

que, as estrelas, subindo, tocar possa,

vendo os segredos lá do Céu superno.

 

Oh! ditoso Pinheiro! Oh! mais ditoso

quem se vir coroar da folha vossa,

cantando à vossa sombra verso eterno!

 

Autor: Luis Vaz de Camões (1524-1580)

Editado por: nicoladavid

Comments