A Imperfeição dos Nossos Sentidos

 

Se os nossos sentidos fossem perfeitos, não precisávamos de inteligência; nem as ideias abstractas de nada nos serviriam. A imperfeição dos nossos sentidos faz com que não concordemos em absoluto sobre um objecto ou um facto do exterior.

Nas ideias abstractas concordamos em absoluto.

Dois homens não vêem uma mesa da mesma maneira; mas ambos entendem a palavra «mesa» da mesma maneira.

Só querendo visualizar uma coisa é que divergirão; isso, porém, não é a ideia abstracta da mesa.


Autor: Fernando Pessoa “Ricardo Reis” (1888-1935)
Editado por: nicoladavid

Comments