Literatura‎ > ‎

"Semelhante à imóvel"

 

transparência
à inesgotável face
à pedra larga onde o olhar repousa
Água sombra e a figura
azul quase um jardim por sob a sombra
a iminência viva aérea
de uma palavra suspensa
na folhagem
Semelhante ao disperso ao ínfimo
chama-se agora aqui o sono da erva
a ligeireza livre
a nuvem sobre a página

 

Autor: António Ramos Rosa
Editado por: nicoladavid

 

Comments