Parei as Águas do Meu Sonho

 

Parei as águas do meu sonho
para teu rosto se mirar.

Mas só a sombra dos meus olhos
ficou por cima, a procurar...

Os pássaros da madrugada
não têm coragem de cantar,
vendo o meu sonho interminável
e a esperança do meu olhar.

Procurei-te em vão pela terra,
perto do céu, por sobre o mar.

Se não chegas nem pelo sonho,
por que insisto em te imaginar?

Quando vierem fechar meus olhos,
talvez não se deixem fechar.

Talvez pensem que o tempo volta,
e que vens, se o tempo voltar.

Autor: Cecília Meireles (1901-1964)
Editado por: nicoladavid

Comments