Primeira Missa no Brazil

 

(a Vítor Meireles)

 

 

Céu transparente, azul, profundo, luminoso;

Montanhas longe, encima, à esquerda, empoeiradas

De luz úmida e branca; o oceano majestoso

À direita, em miniatura; as vagas aniladas

 

Coalham naus de Cabral; mexem-se inda ancoradas;

A praia encurva o colo ardente e gracioso;

Fulge a concha na areia a cintilar; grupadas

As piteiras em flor dão ao quadro um repouso.

 

Serpeja a liana a rir; a mata se condensa,

Cai no meio da tela: um povo estranho a eriça;

Sobre o altar tosco pau ergue-se em cruz imensa.

 

Da armada a gente ajoelha; a luz golfa maciça

Sobre a clareira; e um frade, ao ar, que a selva incensa,

Nas terras do Brasil reza a primeira missa.

Autor: Luís Delfino (1834-1910)
Editado por: nicoladavid

Comments