Extra Muros

 

A tarde de ontem!... Longe da cidade,

Eu a esperava à porta do Passeio:

Quando via ir chegando um carro: — há de,

Pensava, ser o carro em que ela veio.

 

Não era. — Então ficava em novo enleio:

Cada momento era uma eternidade;

E entre a esperança, a dúvida, o receio,

Que inquietação, que angústia, que ansiedade!

 

Mas de repente o rápido ginete

Estaca, o faéton pára, as longas clinas

Sacode o pônei fino e cor de leite:

 

Sai a deusa: o sol ri, e das colinas

Rola-lhe ao pés a luz, como um tapete

Que ela esgarça na ponta das botinas...

Autor: Luís Delfino (1834-1910)
Editado por: nicoladavid

Comments