A vida...




A vida... Que importa a vida?!
Cante a vida quem quiser...
Eu tenho a vida envolvida
na vida de u'a mulher...

Sou um homem rico. Vede
vós que sofreis de ambição:
- uma cabocla, uma rede,
um cachimbo e um violão.

Sofro e choro resignado,
tu nem ouves minha dor...
Quanto amor desperdiçado
por tanta falta de amor!

Meu destino miserando,
neste mundo de ninguém,
é o bem de viver cantando
o mal de te querer bem!

Quem de uma boa cachaça
tem sempre a cabeça cheia,
não sofre a própria desgraça
nem sente a desgraça alheia.

Tu tens quinze anos - mais nada!
Eu tenho cinquenta e três.
- Ó que vontade danada
de ser rapaz outra vez!

Minha mãe era tão boa!
Deus a levou. Mesmo assim,
por qualquer mal que me doa,
sempre está junto de mim.

Auror: Junquilho Lourival (1895-?...)
Editado por: nicoladavid

Comments