"Alvíssima"

 
Sorrisos do luar duma Caveira oca,
Sorrisos do luar enfeitiçando os brejos
Sorrisos do luar a angelizar a boca,

Sorrisos do luar onde escondi meus beijos...

Orações do luar dos lábios de nós ambos,
Orações do luar que os astros não rezaram,
Orações do luar a consagrar os tambos,
Orações do luar, das almas que noivaram.

Cabelos do luar, aveludados, frios,
Cabelos do luar em tranças lactescentes;
Cabelos do luar
¾ alvíssimas serpentes,
Cabelos do luar banhando-se nos rios ...

Aromas do luar em revoadas francas,
Aromas do luar, a perfumar o céu ...
Aromas do luar, sonâmbulos ao léu,
Aromas do luar, por noites todas brancas...

Brancuras do luar dispersas pelos montes…

Brancuras do luar ¾ finos lençóis de gelo…

Brancuras do luar, olhai o sete estrelo,
Brancuras do luar, a namorar as fontes...

Veludos do luar tecidos pela Lua,
Veludos do luar, de lírios e de rosas...
Veludos do luar, vestes preciosas,
Veludos do luar vestindo a noite nua...

Trémulos de luar ¾ litanias peregrinas,
Trémulos de luar
¾ harmonias cérulas,

Trémulos de luar, nas bocas aspérulas,
Trémulos de luar, e lábios das boninas...

Tristezas do luar caindo-nos no peito,

Tristezas do luar, como um dobrar profundo...
Tristezas do luar anestesiando o Mundo,
Tristezas do luar, em lágrimas desfeito...

Lágrimas do luar da Lua aventureira,
Lágrimas do luar, da débil flor dos linhos...
Lágrimas do luar da mágoa derradeira,
Lágrimas do luar, de moços e velhinhos...

Saudades do luar, na rama dos cipestres,
Saudades do luar, há mochos a cantar…
Saudades do luar, são almas a chorar,
Saudades do luar, as podridões agrestes...

Velhinhos corações a verter sangue e mágoas,
Velhinhos corações de mocidades negras,
Velhinhos corações
¾ doridas toutinegras,
Velhinhos corações aos tombos pelas fráguas.

Vamos todos pedir à Lua sacrossanta

¾  Na aspiração do Amor, na comunhão do Bem,
Que o seu bendito olhar, o seu olhar de Santa,
Nos abençoe agora e para sempre amém!



Autor: José Duro (1875-1899)
Editado por: nicoladavid

 

Comments