Na Altura

 

Meu coração resplandece,
Gomo se Nossa Senhora
Em suas mãos o tivesse!

Que desgraçado não fora,
Se o teu olhar o não visse
E o não banhasse de aurora!

Não sei que rara meiguice
O iluminou no meu peito,
Ou que sorriso o bem-disse,
Que ele, a tristezas afeito,
Ele — a fonte da amargura —
Vive agora no meu peito
Como uma estrela na altura!


Autor: João Saraiva (1866-1948)
Editado por: nicoladavid

Comments