"Vinho e Fel"


Oh ventura perdida, mal sonhada!

Quem dissera que tudo acabaria,

Como este meu charuto, em cinza fria,
Em fumo que se esvai no obscuro nada!

 

Deixaste-me, julgando-te adorada

Pelo moço de estranha galhardia,
Que no aspecto e nos gestos reflectia
O Manfredo sombrio da balada.

 

Abalroando ao penetrar na barra,
Senti do ciúme a lacerante pua:

Quis ir-te em cima, erguida a cimitarra.

 

Mas foi-se-me depressa a ideia crua,
Graças a um vinho de espanhola parra,
E à mudança benéfica da lua.

 

 

Autor:  João Penha (1836-1919)
Editado por: nicoladavid

Não esqueça ligar o som.

Comments