"Núpcias"

Senhora da loura trança
E do olhar indefinido!

Bem fundo vibraste a lança:

Eis-me prostrado e vencido!

 

Eu era o fátuo Narciso,
De si mesmo apaixonado:

Nunca, vira o teu sorriso,
N em teu gesto enamorado.

 

Só tinha uma glória: a taça
Dos longos, ruidosos vivas;
Só tinha um prazer: a caça
De galateias esquivas.

 

Um dia, que me sorriste
Do minarete das flores,
Quis saber o poema triste
Da loucura dos amores.

 

Que funesta leviandade!
Nem lhe sei medir o preço,
Que vou dar a liberdade

Por um bem que não conheço!

 

 

Autor: João Penha (1838-1919)

Editado por: nicoladavid

Não esqueça ligar o som.

Comments