"Vida Simples"

 

Ter um canto de terra ou cortinhal;

Por minhas mãos lavrar a terra dura;

Beber um leite bom, uma água pura;

Vestir de burel rude ou de saial;

 

Ter um rebanho alfeiro, que outro igual

Não tivesse o povoado ou a espessura;

Procurar entre pedras a ventura

Que não me pode dar nenhum mortal;

 

Viver livre de enganos, sossegado,

Vendo os olhos piedosos dos cordeiros,

Que mais falam à alma que os da gente;

 

Quem um dia pudera, assim mudado,

Ir arrastando os dias derradeiros

Desta vida mortal e descontente!

 

 

Autor: Júlio Dantas (1876-1962)
Editado por: nicoladavid

 

Comments