Os filhos da noite

 

Noite pariu hediondo Lote, Sorte negra e Morte, pariu Sono e pariu a grei de Sonhos.

A seguir Escárnio e Miséria cheia de dor.

Com nenhum conúbio divina pariu-os Noite trevosa.

As Hespérides que vigiam além do ínclito Oceano belas maçãs de ouro e as árvores frutiferantes pariu e as Partes e as Sortes que punem sem dó:

Fiandeira, Distributriz e Inflexível que aos mortais tão logo nascidos dão os haveres de bem e de mal, elas perseguem transgressões de homens e Deuses e jamais repousam as Deusas da terrível cólera

até que dêem com o olho maligno naquele que erra.

Pariu ainda Nêmesis ruína dos perecíveis mortais a Noite funérea. Depois pariu Engano e Amor e Velhice funesta e pariu Éris de ânimo cruel.

Éris hedionda pariu Fadiga cheia de dor, Olvido, Fome e Dores cheias de lágrimas, Batalhas, Combates, Massacres e Homicídios, Litígios, Mentiras, Falas e Disputas, Desordem e Derrota conviventes uma da outra, e Juramento, que aos sobreterrâneos homens muito arruína quando alguém adrede perjura.


Autor: Hesíodo (Séc. VIII-VII a.C.)
Editado por: nicoladavid

Comments