"Melancolias de Outono"

Melancolias de Outono! Eu quando além descubro,
Nas tristezas do campo, as filas mugidoras

Dos vagarosos bois que voltam das lavouras,
Compungem-me as cruéis desolações d'Outubro!

 

Das orlas do poente, afogueado, rubro,

O moribundo sol! com que poesia douras
As formas triviais das cabecitas louras,

Que, às portas dos casais, de bênçãos também cubro!. ..

 

Solta o canto final a orquestra da folhagem:

São horas de partir; apresta-se a viagem,

E as noites dos saraus hão-de voltar mais belas!

 

Mas as vistas lançando às regiões saudosas,
Nos esforços cruéis das tosses dolorosas,
Em bandos vão partindo as tísicas donzelas!

 

 

Autor: Guilherme de Azevedo (1839-1882)
Editado por: nicoladavid

Não esqueça ligar o som.

Comments