Utopia

 

Já lustros quatro excedo por um ano

Sem que minh'alma, em dor anoitecida,

Um outro estado tenha, uma outra lida,

Que deplorar não seja o ser humano.

 

Antes eu fosse, por divino engano,

Errante nuvem, a boiar, perdida...

Não ser quem sou... Nem dar sinais de vida...

Ser como areia morta em oceano.

 

Quisera andar liberto como o vento...

As imprecisas formas eu quisera

Do sonho que nos doira o pensamento...

 

Ó sonhos que sonhei - ó vã quimera,

Oposta às realidades do momento -

De ver no mundo extinta a lei da fera!

 

Autor: Gentil Valadares (1916-2006)
Editado por: nicoladavid

Comments