"Areia"

Hoje mesmo, se viestes a mim chorando,
quão delicadamente eu então lhe abraçaria...
Mas a tua presença é frágil duna ao vento
e em minhas mãos levemente se desfaria!

A brisa que finalmente assim lhe levaria,
- sopro de alma longínqua e calada -
  iria retirando-te de perto de mim:
leve, sem voz, sem tom, sem nada...
 
Autor: Gebson Moura Leal
Editado por: nicoladavid
Não esqueça ligar o som.
 
Comments