Pensador De Rodim

 

Queixo apoiado à mão em postura severa,

lembra-se o Pensador que é da carne uma presa;

carne fatal, desnuda ante o fado que o espera,

carne que odeia a morte e tremeu de beleza;

 

que estremeceu de amor na primavera ardente

e hoje, imersa no outono, a tristeza conhece.

A ideia de morrer dessa fronte consciente

passa por todo o bronze, à hora em que a noite desce.

 

De angústia os músculos se fendem, sofredores;

os sulcos de seu corpo enchem-se de terrores;

entrega-se, folha outoniça, ao Senhor forte

 

que o plasma.  E não se crispa uma árvore torcida

de sol nos plainos, nem leão de anca ferida,

como esse homem que está meditando na morte.

Autor: Gabriela Mistral (1889-1957)

Editado por: nicoladavid

Comments