Fogo

 

Mil anos há que busco a minha estrela

E os Fados dizem que ma têm guardada;

Levantei-me de noite e madrugada,

Por mais que madruguei, não pude vê-la.

 

Já não espero haver alcance dela

Senão depois da vida rematada,

Que deve estar nos céus tão remontada

Que só lá poderei gozá-la e tê-la.

 

Pensamentos, desejos, esperança,

Não vos canseis em vão, não movais guerra,

Façamos entre os mais uma mudança:

 

Para me procurar vida segura

Deixemos tudo aquilo que há na terra,

Vamos para onde temos a ventura.

 


Autor: Francisco Rodrigues Lobo (1579-1621)
Editado por: nicoladavid

Comments