A ti, guardador perdido

 

A ti, guardador perdido,

Que desamparando o gado,

Sem te haveres por culpado

Andas com razão fugido,

 

Uma pastora enganada,

De teus poderes vencida,

Te roga e deseja vida,

Inda que lha tens tirada.

 

Não pareces há mil dias,

Nem eu sei aonde te escrevo;

Sei que não faço o que devo,

E faço o que me devias.

 

Mas não é cousa de espanto

Que nestes erros acerte

Quem sem ti soube querer-te

E te soube querer tanto.

 

Busquei montes, busquei vales,

E onde te busque não sei,

Porque das novas que achei

Abri caminho a mil males.

[...]

Autor: Francisco Rodrigues Lobo (1579-1621)
Editado por: nicoladavid

 

Comments