Ó tarde saudosa

 

Ó tarde saudosa

Que ides aposentando a noite fria

Neste nosso horizonte,

Manda-me Amor que conte

Agora em voz chorosa

Mágoas que não fiei do claro dia.

Ouçam minha porfia

Essas nuvens escuras

Que o céu mostrava há pouco prateadas,

Que não estão seguras

Por estarem da terra levantadas

De padecer mudança,

Que mais alta tive eu minha esperança.

[...]

Autor: Francisco Rodrigues Lobo (1579-1621)
Editado por: nicoladavid

Comments