Ao mesmo assunto

 
Baixel de confusão em mares de ânsia, 

Edifício caduco em vil terreno, 
Rosa murchada já no campo ameno, 
Berço trocado em tumba desda infância;

Fraqueza sustentada em arrogância, 
Néctar suave em campo de veneno, 
Escura noite em lúcido sereno, 
Sereia alegre em triste consonância;

Viração lisonjeira em vento forte, 
Riqueza falsa em venturosa mina, 
Estrela errante em fementido norte;

Verdade que o engano contamina, 
Triunfo no temor, troféu da morte 
É nossa vida vã, nossa ruína.

Autor: Francisco de Vasconcelos (1665-1723)
Editado por: nicoladavid

Comments