Mandou Fábio Fazer Um Relógio Das Cinzas Da Sua Dama

 

Esse impuro instrumento fabricado

Dos despojos mortais de humano lírio

Que muito ordene o tempo ao meu delírio,

Se se forma do horror meu cuidado?

 

Esse artefacto, pois, da dor formado

É urna infausta, é trágico colírio,

Pois guardando os objetos do martírio

Tem os olhos das ânsias inflamado.

 

Acha contudo alívio o sentimento

No passo triste, na fatal medida

Que abalada a cinzas em pronto movimento,

 

Pois em seu curso a ideia suspendida,

Cuida que é este impulso algum alento

Que os princípios dispõe de nova vida.

Autor: Francisco de Pina Melo (1695-1765)
Editado por: nicoladavid

Comments