A Fonte de Jacó

 

Na velha Samaria era Sicar situada;

Ora, em Sicar, Jacó, filho de Isac, um dia,

Velho já, tarda a mão, à sua gente amada

Uma fonte rasgou d'água límpida e fria.

 

O Mestre, certa vez, a essa borda abençoada,

(No tempo de Jesus a fonte inda existia)

À hora sexta quedou-se, a fronte angustiada

De dor, a ver passar gentes de Samaria.

 

Uma Samaritana, acaso, à fonte veio;

E ao passar por Jesus, com seu cântaro cheio,

O alto busto ondulou numa graça lasciva...

 

— Água! pediu Jesus, mata-me a sede e a mágoa!

Do cântaro, que tens, dá-me uma pouca d'água

Que, em troca, eu te darei da fonte d'água viva.

Autora: Francisca Júlia (1871-1920)
Editado por: nicoladavid

Comments