Quanto mais se avizinha o dia extremo

 

Quanto mais se avizinha o dia extremo
Que a humana miséria torna breve,
Mais vejo o tempo ser veloz e leve
E o que dele esperei, falaz e vão.

E digo aos meus cuidados: «Pouco mais
Falaremos de amor», que o duro e grave
Invólucro terreno se consome,
Qual fresca neve, e enfim teremos paz;

Pois com ele caduca essa esperança
Que me fez desvairar por tanto tempo,
E o riso e o pranto e a cólera e o temor;

Então veremos claro quantas vezes
Corremos trás as cousas duvidosas,
E como em vão por elas suspiramos.

Autor: Francesco Petrarca (1304 – 1374)
Editado por: nicoladavid

Comments