Paz não encontro e não me quadra a guerra

 

Paz não encontro e não me quadra a guerra,
E temo e espero e ardo e sou de gelo,
E voo além do Céu e estou por terra,
E nada aperto e todo o mundo abraço.

Quem me tem preso não me abre ou cerra,
Nem por seu me retém, nem quebra o laço,
E não me mata Amor e não me larga,
Nem me quer vivo nem me desenreda.

Vejo sem olhos e sem língua, grito,
E anseio por morrer e peço ajuda,
A mim mesmo aborreço, a outrem amo.

De dores só me nutro, rindo choro,
Igualmente desdenho morte e vida:
E tudo isto por vós, minha Senhora.

Autor: Francesco Petrarca (1304 – 1374)
Editado por: nicoladavid

Comments