Despede-se o velhinho encanecido

 

Despede-se o velhinho encanecido,
Do lar onde passou inteira a vida,
E da pobre família entristecida
Que vê assim faltar-lhe o caro pai;

E dali, arrastando os velhos membros
Nessa extrema jornada dá existência,
Só da firme vontade se socorre,
Gasto dos anos, do caminho exausto;

E vem a Roma, em pós do seu desejo,
Só por que veja a Face do Senhor
Que inda no Céu espera contemplar.

Assim, pobre de mim, vou procurando,
Senhora, quanto posso, nas demais
A vossa desejada imagem vera.

Autor: Francesco Petrarca (1304 – 1374)
Editado por: nicoladavid

Comments