Gastando se me vai de lanço a lanço

 

Gastando se me vai de lanço a lanço

A vida, que á mor pressa vai correndo.

O tempo em variedades mil despendo

Até que à vida m'outorgue o Céu remanso.

 

Trabalho, quanto posso, mas alcanço

O contrário daquilo, que pretendo:

Que então me foi descanso falecendo,

Quando cuidei, que tinha mais descanso.

 

Vendo-me pois assim tão peregrina,

Metida no sertão destes enleios

Incerta entrego as rédeas à ventura

 

Que outro cuidado, que alma ao Céu m'inclina,

De novo me propõe por vários meios

A quanto se dispõe, quem se aventura.

Autor: Fernão Álvares do Oriente (Séc. XVI)
Editado por: nicoladavid

Comments