Armada de aspereza minha estrela

 

Armada de aspereza minha estrela

a nova dor me leva e me encaminha;

mas se uma glória vi perder-se sozinha,

foi por quem a perdi, glória perde-la.

 

Sucede nova dor, nova querela

à liberdade que gozado tinha:

não sei remédio dar à mágoa minha;

e quem lho pode dar não sabe dela.

 

Que alívio logo me meu tormento espero,

se a que mo censura na alma, não o sente?

Senão se o vê nos olhos com que o vejo.

 

Porém, ah, doce amor, eu antes quero

passar convosco a vida descontente,

que contente viver sem meu desejo.

Autor: Fernão Álvares do Oriente (Séc. XVI)
Editado por: nicoladavid

Comments