Sugestão Duma Manhã De Maio


...E toda a noite sonhaste...
E vagamente acordaste:
Os lábios finos se abriram
Num tremor;
Os olhos tristes sorriram;
...A alma toda envolvida
Na carícia dolorida
Duma saudade de amor.

Como uma canção perdida,
A manhã vinda da serra
Numa esperança de vida!

À tua volta, pairavam
Asas frementes de luz;
Tua fronte irradiava
Uma tão doce candura,
Que na mente me passava
A figura de Jesus!
Eras branca, fria, nua
Como a lua

Num manto de seda azul!
Passavam brisas do sul.
E depois, veio o delírio.
Fez-se roxa
Como um lírio,
Tua boca:

Toda a seiva do teu sangue
Ardente, vermelho e forte,
Subia do corpo exangue,
Na hora da tua morte,
À tua fronte serena,
Tua fronte de açucena!

Começaste a agonizar.
Aves cantavam suaves

Poisadas nos teus cabelos.
E de tristeza, morriam,
Pelo céu, os astros belos.

E pura como nasceste,
Deixaram-te abandonada,
Perto do céu, lá na serra,
Onde nasce a madrugada! ...
Toda coberta de rosas,
Envolta num manto de oiro.

E do teu corpo, tesoiro
De sonho, beleza e dor,
Nascia,

Cheio de luz e harmonia,
O sol vibrante e doirado —
Como se fosse uma flor!

 

Autor: Fausto José (1903-1975)
Editado por: nicoladavid

Comments