Flor

I

Na mesa de trabalho

Eu tinha uma flor,

Mas os meus olhos viam-na de cor...

Hoje, quedei-me atento a contemplá-la
e só então senti como era bela
e veio-me o desejo de beijá-la.

II

Longe, na solidão,

Andamos ansiosos à procura

Dum bem imaginado,

Seja a beleza, o amor, seja a ventura,

Que quase sempre existe ao nosso lado...

O bem certo e real,

Que se pode prender, vivo, na mão!

O sonho talvez seja o grande mal:
Gasta-se o coração...
A alma esfria...

Um pouco mais de esforço e de atenção
e a vida mudaria


Autor: Fausto José (1903-1975)
Editado por: nicoladavid

Comments