Chuva de Setembro


Chuvinha miúda... chove, chove,

Molhando a eira, inchando a uva...

Mãos de anjo fazem rendas de água,

Prendem-me aqui grades de chuva...

 

Chuvinha miúdinha... chove, chove

Nos pinheirais, dentro de mim...

Lembra-me agora aquela tarde

Em que também chovia assim...

 

Quanto chorámos nessa hora,

Que já de nós tão longe vai!

Chuvinha miúda... chove, chove...

Sonhos de amor, chorai, chorai...

Autor: Eugénio de Castro (1869-1944)
Editado por: nicoladavid


Comments