"Pão e circo"



No Coliseu, o urro das famintas feras
O povaréu romano alvoroçava.
O circo mais o pão que alimentava
A Roma augusta das passadas eras.

Ao sinal das trombetas, os escravos
Na saliva da morte agonizavam…
Festejos na tribuna onde brindavam
Tibério César e a súcia de ignavos.

Os caninos cravados no pescoço…
Ventres rasgados expelindo a entranha…
O banquete das feras inclementes…

O brilho rubro aumentava o alvoroço…
Enquanto César, com a face estranha,
Mudo, sorria, sorrateiramente...

 

Auror: Daniel  Mazza
Editado por: nicoladavid

Não esqueça ligar o som.
 
Comments