"Poema de Natal 2010"


Lojas fartas,

Pessoas frenéticas,

Tudo limpo, engomado.

E você não está ao meu lado

 

Diz-se momento de perdoar,

De pensamentos positivos, confraternizar,

Mas você onde está?

 

Menti sim,

Embora sem querer,

Que não sou tão radical,

Mas o que é isso afinal?

 

Queria dizer que estou com saudade!

Queria ir pra sua cidade, beijar-lhe,

Dar carinho...

 

Mas é Natal,

Momento de perdão

De sei-lá-o-quê

Que me embriaga.

 

Afinal, o que vivemos?

A vida da gente,

Ou a vida que todos vivem?

 

O que é isso?

Natal,

Papai Noel,

O que é isso?

 

Eu não sei, não compreendo!

Até quando criança ficava confuso.

O que é isso?

 

Apesar do gosto do pêssego na farofa,

Do salpicão de frango,

Da tia Bêbada esfregando os peitos,

Das crianças no mesmo estado.

Você não está do meu lado!

 

O que é isso?

Se isso é o que chamam de Natal:

Eu não gosto, não gosto e vomito!

 

A cabeça doi,

Tudo não muda

E o nada tampouco

Nem a porra do Natal!

 

Que insiste em existir,

Na cabecinha de todos os desmiolados

Que dizem ser momento de perdoar!

 

Perdoar o quê?

Quem?

Não era nascimento?

Mas agora é perdoar!

 

Que saco!

Sem você ao meu lado.

Pois deve estar ao lado daquele idiota de Papai Noel.

 

Aquele velho barbudo,

Vestido de vermelho.

 

Velho,

Barba,

Que nojo.

E eu?

 

O que é isso?

Momento de perdão!

Eu não quero perdoar ninguém

Nem o natal.

 

Nem o símbolo nórdico da folha do Canadá

Nem lá,

Nem aqui.

 

Quem sou eu mesmo?

 

Não sei o que é Natal

Não sei do que falam...

 

Sou de fora?

Existem outros além de mim?

 

E quer saber?

Vou parar com perguntas

Pois o dia é de perdão

E não de indagação!

 

Assim eu não pergunto

Onde você está

Que não está do meu lado.


Autor: Cristiano Melo
Editado por: nicoladavid




Comments