Gêlo para as águias



Eu continuo a me lembrar dos cavalos
sob a Lua
Eu continuo a me lembrar de alimentar os cavalos
com açúcar
Torrões brancos de açúcar
que mais pareciam gelo,
e eles tinham cabeças como as de
águias
cabeças calvas que podiam ter me mordido,
mas não o fizeram.

Os cavalos eram mais reais que
meu pai
mais reais que Deus
e eles poderiam ter pisado no meu pé,
mas não o fizeram
poderiam ter feito comigo toda sorte de horrores,
mas não o fizeram.

Eu tinha quase cinco anos,
mas ainda não esqueci;
oh meu deus eles eram fortes e bons
aquelas línguas vermelhas
babando suas almas.

Autor: Charles Bukowski (1920-1944)
Editado por: nicoladavid


Comments