Higiene



I

Foguetes. Higiene. Projectos

Quanto mais se quer, melhor se quer. Quanto mais se trabalha, melhor se trabalha e mais se quer trabalhar. Quanto mais se produz mais fecundo se fica.

Após uma orgia, sempre nos sentimos mais sós, mais abandonados.

No moral como no físico, sempre tive a sensa­ção do abismo, não apenas do abismo do sono, mas ainda do abismo da acção, do sonho, da memória, do desejo, da nostalgia, do remorso, do belo, do número, etc.

Cultivei com fruição e terror a minha histeria. Agora sinto sempre vertigens e hoje, 23 de Janeiro de 1862, tive um aviso singular: passou por cima de mim o vento da asa da imbecili­dade.

(VII)

Higiene. Comportamento. Método

Juro a mim próprio tomar de futuro como regras eternas da minha vida as seguintes regras: fazer todas as manhãs a minha oração a Deus, reservatório de toda a força e de toda a justiça, a meu pai, a Mariette e a Poe, como intercesso­res; rogar-lhes que me comuniquem a força necessária para cumprir todos os meus deveres e que concedam a minha mãe vida suficiente­mente longa para se regozijar com a minha transformação; trabalhar todo o dia ou, pelo menos, tanto quanto o permitam as minhas for­ças; confiar em Deus, que o mesmo é dizer: na própria Justiça, para o êxito dos meus projec­tos; fazer todas as noites uma nova oração, pedindo a Deus vida e força para minha mãe e para mim; dividir em quatro partes tudo o que ganhar — uma para a vida corrente, uma para os meus credores, uma para os meus amigos e uma para a minha mãe; obedecer aos princípios da mais estrita sobriedade, o primeiro dos quais é o da supressão de todos os excitantes, sejam eles quais forem.

Autor: Charles Baudelaire (1821-1867)
Editado por: nicoladavid

Comments