As Litanias De Sata



Ó tu, dos Anjos o mais sábio e o mais belo,
Deus traído p'la sorte e de louvores privado,

Tem piedade, ó Satã, desta minha miséria!

Ó Príncipe do exílio, a quem dano causaram,
Tu que, vencido, sempre mais audaz te ergues,

Tem piedade, ó Satã, desta minha miséria!

Tu, omnisciente, rei do mundo subterrâneo,
Familiar charlatão das angústias humanas,

Tem piedade, ó Satã, desta minha miséria!

Tu que, nos olhos e no peito das mulheres
Instalas o culto da chaga e dos farrapos,

Tem piedade, ó Satã, desta minha miséria!

Bordão do exilado, lanterna do inventor,
Confessor do enforcado e do conspirador,

Tem piedade, ó Satã, desta minha miséria!

Pai adoptivo dos que, em sua negra cólera,
Deus Pai expulsou do paraíso terrestre,

Tem piedade, ó Satã, desta minha miséria!

Autor: Charles Baudelaire (1821-1867)
Editado por: nicoladavid

Comments